Promessa de Cura Alzheimer – Dr. Magazine

Magazine (PDF)

Título: Cura do Alzheimer
Autor: Márcia Rodrigues
Editora: Dr. Magazine
Ano: 2014
Nº de Páginas: 052
Tipo: Revista Digital
Formato: .pdf
Licença: Gratuito

Descrição

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, divulgada em setembro deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 26,1 milhões de idosos.

Veja também na revista o direito de ser esquecido na internet está gerando uma das maiores guerras jurídicas do século XXI. De um lado, os que defendem a privacidade. Recentemente, o Tribunal de Justiça da União Européia (TJUE), a mais alta corte dos 28 países do bloco europeu, decidiu por defender a privacidade, após concluir que o site de busca da Google pode estar indo longe demais. A decisão se baseou no projeto de revisão de sua lei (a de privacidade), onde em 2012 foi incluído o direito de ser esquecido, e que agora foi colocado em prática para garantir a um espanhol o direito ao esquecimento de seus atos.

De outro, os que argumentam que o direito de “ser deixado em paz” pode se esbarrar num outro direito: o de liberdade de expressão e de informação. Pergunto aqui, para você leitor: em algum momento já se sentiu afetado (ou ameaçado) pela falta de privacidade nesse mundo virtual? O país deve pensar em novas leis para garantir o direito ao “sossego” de seu cidadão? Deve-se permitir que todas as informações (passado e presente) que se encontram na rede continuem por lá, a fim de manter uma espécie de memória digital, mesmo que essas informações “comprometam” você no futuro? Essas questões não são tão fáceis de responder. Como também que o grande dilema não é o que você (ou nós) publica (publicamos), mais o que os outros publicam sobre você (nós).

E essa notícia se espalha, vira uma informação de interesse público. À medida que o caso ganha repercussão, corre ainda o risco de acabar sendo relatado em detalhes por diversas mídias online, gerando um fato histórico. Cito um exemplo recente, daquela torcedora do Grêmio, que chamou o goleiro Aranha de macaco. A imprensa registrou as imagens. A torcedora ficou marcada pelo episódio. Será que no futuro ela poderá “ser esquecida”?